sábado, 28 de agosto de 2010

Estava prometido.

Já são treze anos.
Sabes, acho que tenho que pedir desculpa por muita coisa.
Por não suportar algumas coisas que, penso, fazes na tua ingenuidade, e que me fazem responder com demasiada sinceridade.
Devia dizer-te tantas coisas, e fico só à espera que percebas por ti.
Há coisas que fazes que me irritam, que não compreendo, que me magoam.
E há coisas que fazes, que me fazem sentir a Liliane.
Que mais ninguém faz porque mais ninguém sabe que tem que fazer.
Lembro-me de andarmos na escola, de nos chatearmos na primária por causa de uma miúda que não valeu a confusão que arranjou. Mas felizmente abriste esses olhinhos. Ahah :D
Lembro-me de termos dado um abraço tão mas tão grande no início das aulas do 5º ano, que o teu pai ficou admirado, e disse "Fogo, que saudades...". Estavamos em frente à sala 3 ou 4, e não nos víamos desde o fim das aulas no 4º ano. E eu estava mesmo a sentir a tua falta. Éramos pequeninas, mas eu gostava mesmo de ti, palerma.
Lembro-me de te escrever cartinhas de melhor amiga. E de receber resposta. Com aqueles autocolantes com brilhantes e tudo... :D
Lembro-me de ires a Paris e de eu rezar para teres boa viagem.
Lembro-me de teres trazido uma prendinha e eu nem lhe liguei muito ao início porque queria que me contasses tudo que tinhas visto, tudinho.
Lembro-me de te chateares comigo por uma coisa que para além de completamente parva, eu não tinha feito. Mas tudo porque apareceu uma segunda "cobrinha" na nossa vida, sendo que esta era mais parecida com um leitão (xD). O importante é que tinham conseguido afastar-nos. Por uma estupidez. Por ciúmes do que nós éramos.
E do que voltamos a ser. Lembro-me disso também.
Lembro-me de recomeçares a falar comigo, com medo. Até sorrio a pensar nisso. Era mesmo engraçado. Enfim... xD
Lá começaste a aproximar-te, (re)começamos a dividir carteiras nas aulas, a lanchar juntas, a ir à casa de banho juntas (LOL), a cantar músicas completamente ridículas de um filme que mais ninguém viu, a fazer bosta com o meu ActiMel e com o teu iogurte líquido, a apontar "P'tantos"...
Lembro-me de te dizer umas verdades. De me dizeres umas verdades.
De chorares comigo e de eu não chorar contigo.
De te fazer ver que não devias ter medo de dar um passo sabendo que não estavas sozinha.
Lembro-me de teres dado esse passo e de eu passar a ser a Fada Madrinha.
Lembro-me de me protegeres em muitas situações.
Lembro-me de não me compreenderes por ser demasiado sonhadora, e romântica, e palerma.
Lembro-me de tentar pôr-te mais feminina, e azucrinar-te a cabeça para começares a pintar as unhas... OMG xD
Lembro-me de te mandar vestir vestidos e usar tacões.
Lembro-me de saltar para a tua cama quando estava com aquela cena levantada, e de malhar a seguir. E de tu berrares a dizer que te ia dar cabo da porcaria da cama... xD
Lembro-me de me expores os meus próprios problemas de uma forma prática, e de eu não saber agradecer por isso.
Lembro-me de te fazer uma surpresa nos teus anos, e encher-te a casa de gente, com a ajuda da tua mãe.

Lembro-me de me levares a um concerto sem eu saber, nos meus anos, com a ajuda da minha mãe.
Lembro-me de desabafares comigo sobre os teus medos, sobre alguém que queria um espaço na tua vida que tu não tinhas para lhe dar.
Lembro-me de passar uma tarde a pôr-te ao corrente das coisas que se passavam comigo e em mim.
Lembro-me de não conseguir dizer muitas coisas que pensei, de ter vergonha de dizer tantas coisas que sentia, e de mesmo assim, ter sido uima tarde em que tirei um peso enorme de cima dos ombros.
Enfim, doze anos a estudar juntas, a trocar olhares cúmplices, e a rirmos sem que os outros percebessem de quê.
Depois, foi uma separação física.
Tu em Vila Real, eu no Porto. É certo que havia o esforço de todas as sextas nos juntarmos no café do Tio, mas havia sempre uma semana em que tínhamos um exame no sábado e não podíamos ir, ou podia eu e não podias tu, e vice-versa.
Tornou-se tudo muito diferente da convivência diária que tínhamos.
E eu juro-te, tive muito medo que se perdesse a cumplicidade.
Mas este Verão, com mais tempo livre das duas partes, vi que não.
Contínuamos a ter tudo. Só que menos vezes, com menos regularidade.
Sabes porque és a melhor amiga?
Porque continuamos a cantar "O Caminho para El Dourado", continuamos a ir à casa de banho juntas (LOL outra vez), porque estou no banho e tu estás a cantar comigo, porque durmo contigo e falamos pela madrugada dentro, porque já não tenho dúvidas quando vou comprar uma prenda para ti (o que antes era um problema), porque conto com a tua sinceridade típica (e também com a tua pouca fofice xD), porque és a pessoa a quem conto com quem estive, porque te chateio com tudo o que não sei fazer, porque quero que me contes todos os pormenores do que fazes longe de mim, porque te quero contar tudo o que faço quando não estás aqui, porque sabes os meus segredos, porque sabes do que gosto e do que não gosto, porque temos momentos só nossos, porque ficamos felizes com as vitórias uma da outra.
Porque gosto de ti, desde sempre.

(Lembraste?)

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Love me, JJ Heller

"He prays every night, 'Dear God won´t You please
could You send someone here who will love me?'

Who will love me for me
Not for what I have done
Or what I will become
Who will love me for me
´Cause nobody has shown me what love
What love really means"



Quantas vezes peço.
Quantas vezes penso.
Obrigada, Cris. Só mostra como me conheces.

Oh prendinha again :D


1. Dizer o quê e/ou quem te leva ao céu.

Uhhh... Um bom gelado de chocolate e aquela pessoa. A combinação perfeita.
Uma música com letra especial...
Um olhar...
Um abraço apertadinho *.*

2. Seguir e comentar o blog da criadora do Selo.
Done :)

3. E claro, oferecerem-no e avisem as pessoas a quem ofereceram.

We Three (My Echo, My Shadow and Me)
Muda! E a vida vai mudar contigo.


Obrigada, Nanciizita :D

Outrooo *.*


1º - O que sentes ao tirar uma fotografia?
Depende. Se for a alguém ou com alguém que altere a nossa respiração, adoro tirar uma fotografia, e outra, e outra... :)

2º - O que é para ti a fotografia?
Um momento, uma recordação, a imagem de um sentimento por vezes.
3º - Comentar o blog da criadora do selo.
Done :) - http://addictedbyphotographs.blogspot.com/

4º - Passar o selinho.



Obrigada, Dona da Laparota :D

Respondes tu ou respondo eu?

"Fogo. Quem é o noob que n quer uma querida como tu?:-)" - 13/06/2010 , 16:25h

Feliz dia de pôr os selinhos em ordem, Cris! :D

Sorry, estavam em atraso já nem sei desde quando =)



1º - O que te faz ser feliz?
Os meus amigos. A minha música. Os meus sonhos. *.*

2º - Sem pensar muito qual o melhor momento da tua vida?
15 de Junho de 2010 *.*


3º - Oferecer a 3 (ou mais) blog's que te fazem querer ser feliz?
Sayonara Solitaire
Muda! E a vida vai mudar contigo.
We three (My Echo, My Shadow and Me)
(previsível :D )




1. Dizer quem enviou o selo:
A minha Cris :D

2. Responder a duas perguntas:
- Refere um momento que gostasses de reviver:
Um passeio pelo Palácio de Cristal
- Porquê?
Porquê? Porque simplesmente estava feliz.




3. Reenviar o selo a 4 blogs:


Muda! E a vida vai mudar contigo.
BAZINGA!
Sayonara Solitaire
Porquê? Porque sim!



1º. Descreve aquilo que te faz viver.
As minhas pessoas, porque me levantam sempre que eu caio (e são muitas vezes, acreditem!).

2º. Oferecer o selinho.



3º. Comentar o blog da criadora.

 
 
 


1. Referir quem é que ofereceu o selo.
Ainda estamos a falar da Cris, sim! *.*

 
2. Qual é o teu chá preferido.
Vários, mas limão ou cidreira, os mais tradicionais :D


3. Quantas colheres de açúcar costumas meter?
Duas ou três. Gosto de coisas bem docinhas ;)


4. Passar o selo a 6 blog's.

Muda! E a vida vai mudar contigo.
BAZINGA!
O Meu Abrigo
Sayonare Solitaire
a story of boy meets girl
Difusão em pararelo





1. O que mais te preenche?

Um abraço bem apertadinho. Uma tarde com elas. Um olhar dele.


2. As 3 coisas sem as quais não consegues sobreviver.
Coisas? Para além do telemóvel e do computador, como diz a Cris, talvez a música *.*


3. Oferecer o blog a 3 pessoas ou mais.


Muda! E a vida vai mudar contigo.
BAZINGA!
Sayonara Solitaire


4. Comentar o blog da criadora.
Done =)
 
 

1º - O que te faz levitar?
Tanta coisa... Aqueles passeios de mãos dadas, aquelas mensagens que te fazem sentir especial, que te fazem sentir desejada, que te fazem sentir viva.

2º - Oferecer (exclusivamente) a 3 blogs.
BAZINGA!
Sayonara Solitaire
O Meu Abrigo

3º - Comentar o blog da criadora.
Done, again :)



1º - O que mais tem significado para ti? Palavras ou olhar?
É difícil. Eu digo com regularidade as coisas que sinto, e gosto que façam o mesmo comigo. Faz-me feliz. Mas às vezes, também me faz bem ficar uns minutos a olhar um olhar, que também vem na minha direcção. Porque é um método que substitui todas as palavras. Porque dizemos tudo no silêncio, e prolongamos a sensação de paz.

 
2º - Em que és viciado (a)?
Em sonhos. Bom vício?


3º - Mudavas alguma coisa da tua vida enferrujada?
Mudava. Deitava fora as minhas bolsas lacrimais e comprava uma armadura de corações. De resto, está óptima :D


4º - Oferecer o selinho.
Aos seguidores *.*


1º - Para ti um olhar vale mais do que mil palavras?
Já respondi em cima. Sim, vale, dependendo de quem o dá, e não desprezando as palavras. Nunca!

2º - Ainda te lembras a quem lançaste o teu primeiro olhar?
Lembro. E hoje rio-me dessa situação :D


3º - Comentar o blog de quem criou
Done :)


4º - Oferecer o selo.

O Meu Abrigo
Difusão em Pararelo





1º Colocar um excerto de um livro com que te identifiques.

É difícil escolher, sabem? Mas cá vai!

"Havia uma ferocidade no rosto dele, uma violência nos olhos que deveriam tê-la assustado. Embora o coração dela tenha dado um salto, nada tinha a ver com medo.
-Quero-te.


(...)


-Estás bem? - perguntou-lhe ele.
-Não, não consigo ver nada.
Foi a vez de ele sorrir. - Tens os olhos fechados.
-Oh. - Ela abriu-os e suspirou. - Graças a Deus. Pensei que tinha ficado cega. - Voltando a cabeça sobre a colcha amarrotada, olhou para ele.
Ele voltou-se para a beijar. O cabelo dela estava solto sobre os ombros, como ele tinha imaginado, e era uma desordem de caracóis em volta do rosto dela.


(...)


Ele começou a puxar uma cadeira, mas ela já estava a aproximar-se dele. Dora envolveu-o com os braços, colou o corpo ao dele e enterrou o rosto no pescoço dele, impossibilitando-o de não oferecer o que sentia em conforto. Ele manteve-se abraçado a ela, mãos acariciando-lhe as costas, a ver a chuva escorrer pelo vidro da janela.
- Estava com medo - murmurou ela.
- Não precisas de estar. - Jed apertou-a por um instante e depois relaxou novamente. - Não te vai acontecer nada.
- Estava com medo de mais do que isso. Estava com medo de que não estivesses aqui para me abraçar desta maneira quando eu precisasse."

Nora Roberts, "Tesouros Escondidos"

 2º Oferecer o selo!
Se a Cris já o tem, resta-me:

Sayonara Solitaire
Muda! E a vida vai mudar contigo.


3º Comentar o blog da criadora do selo.






1- Responder à pergunta : "Tens alguma pessoa que dê cor à tua vida? E porquê?"

Tenho. Muitas, felizmente. Nem preciso de dizer quem... *.* E depois também há quem dê e tire cor alternadamente, e sem se aperceber, mas isso, fica para outro dia.


2- Publicar o Selo e dizer quem o passou.
Feito!
3- Passar ao maior número de blog's que achem que têm Cor!

Passava a três pessoas, mas já o têm: Cris, Káká e Carla. *.* Porque elas passam a vida a colorir-me. :)

O Meu Abrigo


E por hoje chega xD

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

domingo, 22 de agosto de 2010

Prendinha da Dani *.*



1. Responder à pergunta: Quais as 3 coisas que te levam ao máximo delírio?
Música, chocolate, e amor. Se bem que um bom abraço na hora certa também =)

 2. Comentar o blog da criadora.
Done ;)

3. Passar o selinho a 5 blogs.
We Three (My Echo, My Shadow and Me)
Muda! E a vida vai mudar contigo.
O Meu Abrigo
a story of boy meets girl
Sayonara Solitaire 
 
=)

"Remind me to miss you"


Sinto tanto a tua falta.
Sabias que nunca tinha andado por aquelas ruas assim?
Sinto falta de estar envolvida pelo teu braço, na minha cintura...
De te envolver com o meu e caminhar sentindo-te a meu lado.
Tu lembras-te?
Nunca deixei mais ninguém fazê-lo, porque não queria sentir saudades de algo perdido.
E adivinha o que tenho agora...

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Prendinha da Cris *.*



1. Porque é que o verbo amar só faz sentido se for conjugado a dois?
Porque a melhor parte do amar é saber que somos amados.

2. Dizer o que achas do blog "O verbo amar só faz sentido se for conjugado a dois. ♥"
Gostei bastante. Adorei a estética, também, mas a maneira de falar de coisas tão importantes para mim é de facto, de louvar! =) Sigoooo :)

3. Oferecer o selo a alguns blogs.
Em especial:

O Meu Abrigo

E a todos aqueles que acreditam no amor.

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

*.* Viciei-me

Há coisa mais sentida?

Grito

Compreendo que não me deixe fazer tudo o que quero, mas caramba há coisinhas tão inofensivas, tão pequeninas que me fariam sentir tão feliz e que não lhe afectavam em nada o dia dela, e que ela não me deixa fazer. E não me apresenta nenhum motivo para dizer "Não!".
Às vezes tenho dúvidas que ela goste de me ver a sorrir, porque custa-me, mas ela está a tirar-me tudo o que me faz bem.
Não me deixa sair.
Não me deixa dormir fora com as minhas meninas.
Não me deixa ir de férias.
Não me deixa sair com um amigo especial.
Não me deixa seguir a dança.
Não me deixa entrar para o GÁS.
Não me deixa viver.
E eu tento sempre fazer aquelas coisas que deixam os pais felizes.
Pelo menos, os outros pais ficam felizes por mim. Para os meus, não chega.
Nunca chega.
Eu esforço-me nos meus estudos.
Eu tenho a catequese e adoro aqueles miúdos.
Eu canto e toco.
Eu leio e ajudo.
Caramba, não é estar a gabar-me, porque só faço o que gosto e porque gosto, mas fogoooo.
Eu fiz as cadeiras todas, eu tento não os desiludir.
Compreendo o sacrifício que fazem por mim, e só quero recompensá-los.
Que tal confiarem em mim, hen?
Eu falo com eles sobre tudo, eles sabem tudo da minha vida. Eu confio neles!
Quantos filhos hoje falam com os pais sobre os seus problemas?
Acho que o mal está em eles saberem demais sobre mim, e simplesmente não o compreenderem.
Também já pensei que todos passam por isso, que não sou só eu.
Estou a ser egoísta?
Que se calhar é uma coisa normal e que eu é que tenho que, mais uma vez, me adaptar a isso, e viver com a situação.
Mas eu tento ser diferente dos "outros", e eles não reconhecem isso.
Mas sabem, o pior é que já vem de longe.
Sinto que não confiam em mim de maneira nenhuma, apesar de tudo o que tento fazer para que aconteça o contrário. E vejo isso em coisas pequeninas.
Nem à viagem de finalistas me deixaram ir. Pode já ter sido há algum tempo, mas é só mais um exemplo. É uma coisa que nunca vou esquecer. Foi algo que não tive porque eles não confiaram em mim. Como tantas outras coisas.
E a história está sempre a repetir-se.
Não, não é uma fase. É uma vida.
Prendem-me.
Sim, podia ser por medo, para me proteger, por outras mil e quinhentas boas razões.
Mas não.
É porque não me querem ouvir.
Porque não querem ouvir o meu grito.

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Quinze. Porque pediste.

Quinze. Porque te lembraste.
Foram quinze coisinhas pequeninas.
E por serem tão pequeninas e insignificantes aos olhos apressados da maioria das pessoas, para elas perderam o valor.
Para mim, são o essencial.
Queria realizá-las contigo, e só contigo. Porque só assim faria sentido.
Nem exigia a circunstância perfeita, bastava que estivesses ao meu lado.
Bastava que eu sentisse a tua mão na minha.
Bastava que te desses com tanta intensidade como eu me daria, como eu me dei.
Bastava que tivesses mantido firme o que tínhamos, sem deixar que se apagasse assim...
Fiz-te mais um relatório de desejos.
Agora podes lê-los, e realiza-los com alguém. Porque embora eu seja sonhadora, não devo ser a única a sonhar com eles.
Desejo-te 15 coisinhas boas. Porque, embora penses que não, tu só mereces coisas boas.
 
 

domingo, 15 de agosto de 2010

15º Desejo - 2 meses

Ajudaste-me a construí-lo. E de repente, sem eu perceber porquê, deixaste-o desmoronar.

E com ele, eu também desmoronei.
Fiquei a ver-te ir. Estava tudo nas tuas mãos, não interferi. Tive medo, é certo. Mas dei-te todo o espaço de que precisavas. E disso, não me arrependo.
O meu maior desejo não era construir contigo um castelo de areia, frágil, sujeito a pegadas indelicadas e exposto à força do mar; mas sim um mundo, retirado deste mundo, um sítio nosso, onde não deixasses mais ninguém entrar.


E este é o último desejo que te conto. E com isto, foram dois meses de mim, que eu te dei.
 

sábado, 14 de agosto de 2010

14º Desejo

Gostas de neve?

Eu gosto. De vê-la cair, de senti-la a arrefecer as minhas mãos, a arrefecer-me. Por fora.
Gostava de passear contigo num sítio repleto de branco e de carinho, onde pudesse sentir o calor do teu corpo, em contraste com o frio da estação.
De fazer as típicas construções contigo...
De fazer tudo o que é típico contigo, mas com algo que o tornasse especial, como mereces.
Se calhar, porque é uma imagem "de sonho", e com a qual eu sonho.
E, como em todos os sonhos, e desejos, tu terias de estar presente, sem me virar as costas.

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

13º Desejo

Cresce aquela ansiedade pequenina, que chateia até ao último minuto.

Vão juntos de férias. Talvez um fim-de-semana. Talvez uma semana. Talvez mais...
Mas vão. Longe dos olhares e críticas de todos os dias.
Longe das opiniões desnecessárias e desagradáveis.
Vão para, mais do que partilhar um espaço, partilhar hábitos, gostos, momentos, sentimentos, sorrisos.
E eu imaginei tanto, porque queria tanto...
Pode ser banal para eles, e até para ti.
Pode ser impossível, ou improvável.
Mas para mim, ainda é um desejo.



quinta-feira, 12 de agosto de 2010

12º Desejo


Sabes uma coisa? Vejo-os a chegar todos os dias à faculdade.
Saem do carro, e dão automaticamente as mãos. Entrelaçam os dedos num gesto que funciona como uma tentativa de se manterem juntos.
E entram aqui e ali. E falam com este e com aquele.
Ele vai atrás dela; é como se a protegesse.
Ela vai à frente dele; é como se fosse um sinal, para que todos saibam que ela é dele.
Sabias que sonho em entrar lá, e em todos os locais possíveis, de mãos dadas contigo, sem que te importasses do que eles pensariam?

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

"When you're gone"

É que quase chorei quando tornei a ouvir esta música...
O que me valeu foi estar a arranjar as unhas à Carla, e deu para disfarçar.
Fez-me lembrar uma agonia ainda muito próxima. Aquela sensaçãozinha de perder algo, de perder alguém.
Bah, a música é antiga mas é linda. E diz tudo.

11º Desejo

"E, começando a música, altera-se a respiração deles.", disse eu uma vez.

Porque marcou.
Porque lhes lembra um gesto.
Porque lhes lembra um dia.
Porque lhes lembra um cheiro.
Porque lhes lembra um toque.
Porque lhes traz um arrepio de saudade.
Porque os faz sorrir, e fechar os olhos.
Porque os faz chorar, e fechar os olhos....
Gostava de também ter uma música contigo, sabes? Sentir que pensavas em mim quando a ouvisses.
Embora já tenha tantas e tantas coisas que me lembram de ti em todo o lado, tinha o desejo de ter uma música que me fizesse lembrar de ti...
E desse desejo, o destino encarregou-se de realizar, embora talvez não tenhas reparado.

terça-feira, 10 de agosto de 2010

10º Desejo

Cheirava a fresco.

Melhor, o ar era fresco. Era puro.
E havia flores, e a sombra boa das árvores altas, e o vento, e o rio...
E havias tu.
E havia eu no teu colo.
Costumo sonhar com isso.



Adoro vê-los ali, enquanto finjo ler.
Simplesmente estão juntos. Não fazem nada mais a não ser estar.
Lembraste quando fomos ao jardim? Era mais um dos desejos.

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

9º Desejo

É como se perpetuássemos um sentimento, uma vontade.
Como se deixássemos uma marca ali, para que todos os que a viessem depois invejassem o que nós tinhamos.
Como se quisessemos que toda a gente soubesse, que toda a gente visse.
Podíamos gravar numa árvore, não podiamos? Era só mais um desejo...
 

domingo, 8 de agosto de 2010

8º Desejo

Lembraste de quando me levaste ao comboio? Lembro-me tão bem de cada pormenor...
Muitas vezes vejo casais despedirem-se lá, na estação.
Contam os minutos, esticam o tempo, prolongam o momento em que ainda estão juntos.
Isolam-se, concentrando-se um no outro; não se dão ao luxo de desperdiçar um segundo que seja com quem os rodeia, porque se vão separar. Fisicamente.
E depois do último beijo, do último abraço, do último toque, um deles fica lá, dando-me oportunidade de ver como se fica quando se está longe de quem se gosta. É-me como um espelho, sabes?
A despedida é quase sempre triste. Mas há dias em que não.
A nossa também não foi, simplesmente porque eu não adivinhava o futuro, nem me passava sequer pela cabeça, que aquela podia ser a última vez.
Eu fiquei com um sorriso parvo no rosto, que não consegui tirar o resto da semana, e no qual toda a gente reparava.
Sem saberes, realizaste este desejo.
 

sábado, 7 de agosto de 2010

7º Desejo




Sentir o vento a levar os nossos cabelos, desordeiramente.
Ver o trigo a flutuar, ordeiramente.
Fechar os olhos por culpa daquele arrepio que me provocas.

E poder correr naquele campo, e poder abraçar-te, e deixar que me pegues ao colo, como naquele dia, naquele jardim.

Sabias que tinha esse desejo?

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

6º Desejo

Vejo-os cair juntos.
Vejo água e alegria nos rostos deles.
Vão vestidos, apenas protegidos com o sentimento que os une.
Saltam e riem, num gesto tão natural como respirar.
E mantêm-se próximos, abraçados.
Um dos desejos, era de saltar para lá também, no teu colo.

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

O GÁS

Ontem voltou a ser tão bom.
Já estou com eles há muitos anos.
Vão mudando os elementos que vêm, mas mantém-se o espírito, os valores, a união.
E mantém-se também a minha vontade de estar com eles.
Porque me faz bem cada palavra, cada minuto, cada abraço.


E a minha Cris (*.*) disse que a minha característica é ser apaixonada.
Concordo. Por tudo. E demais.

5º Desejo



Acordar e ver os olhos de quem amamos deve ser a melhor das sensações.
Imagino que nos traga paz, que nos faça sorrir sem darmos conta, que nos faça realmente bem.
Acredito que me faria sentir protegida, que me faria sentir completa, que me deixaria feliz. Verdadeiramente feliz.
Acho que posso dizer que já acordei nos teus braços, embora tenha sido diferente. E só tenho pena que esse dia já esteja tão longe.
Tenho o desejo de acordar para te ver dormir.

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

4º Desejo


Não há nada mais bonito.
Parece que tens a oportunidade de nascer de novo.
De fazeres o que ainda não tiveste coragem para fazer.
De dizeres o que trazes guardado desde sempre.
De experimentares isto, e aquilo.
De seres tudo, e ainda acrescentares um bocadinho mais a ti mesmo.
Parece que tens um novo dia simplesmente à espera que partas à conquista de mais um sonho, de mais um desejo.
Sabias que um dos meus desejos era ver um amanhecer contigo?

terça-feira, 3 de agosto de 2010

3º Desejo

Sabes quando vemos aqueles filmes lamechas e gozamos com tudo?
É bom, passamos uma tarde inteira a rir.
Mas eu acho que só faço isso para controlar uma lagrimazita, para esconder que me afecta, e que me entristece não ter aquilo que estou a ver.
Adoro aquelas cenas onde eles estão no meio da rua, à chuva.
E dançam.
E riem.
E trocam carinhos, entre cabelos e roupas encharcadas, de água e de ternura.
Se soubesses como eu gostaria de caminhar, de correr, de te abraçar, de fechar os olhos e apenas te sentir: a ti e à chuva, fria.
Não sabes, mas um dos meus desejos era andar à chuva contigo, de mãos dadas.

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

2º Desejo

Vinham juntos, no pôr-do-sol, e entregaram-se ao momento...
Era de facto, um cenário perfeito. O sol estava a mudar a cor do céu, sabes? E via-se aquele reflexo lindo na água.
E havia uma calma, um sossego ... indescritíveis!
O barulho das ondas a rebentar suavemente na areia era relaxante.
Entraram assim mesmo no mar, vestidos, disfrutando das carícias das águas e do tempo morno que se fazia sentir.
E depois, ficaram ali sentados.
A ver.
A ouvir.
A contemplar.
A sentir.
Uma praia meia deserta ficou marcada com pegadas paralelas, rumando na mesma direcção.
Sabes, este era o meu segundo desejo: caminhar na praia, num pôr-do-sol, de mãos dadas contigo.

domingo, 1 de agosto de 2010

Um miminho *.*

A Catarina e a Cris deixaram-me este selinho:


Com as seguintes regrazinhas:

1. Responder à questão: Qual é a melhor maneira de te expressares?

É uma coisa relativa. Normalmente a música ajuda muito a expressar alguns sentimentos, aquelas sensações que não consigo explicar nem às pessoas que me são mais próximas.
Expresso-me muito por palavras, aqui especialmente. Mas há situações em que as substituo por um olhar, um carinho, um gesto.
Vale muito mais. :)
 
2. Dizer o que achas do blog "Expressa-te!".
Gostei bastante. Não precisa de escrever muito para "expressar" o que lhe vai na alma. Muito bom =)
 
3. Oferecer o selo aos blogs mais expressivos.

São os que eu sigo mais:

* Sayonara Solitaire
* O Meu Abrigo
* Difusão em paralelo
* We Three (My Echo, My Shadow and Me)

1º Desejo

Ontem fui a uma daquelas festinhas da terrinha.
Estava a família toda sentadinha numa encosta, umas mantas, umas pipocas, digamos que havia ambiente, havia aquela coisa que há nas famílias e que nos faz sentir em casa.
E reparei num casal que estava à minha frente. Tinham os seus 30 e poucos anos. Ela estava sentada, e ele deixou repousar a cabeça no colo dela.
Havia fogo de artíficio. E uma música calma.
E ela carinhosamente acariciava o marido, passando ao de leve os dedos pelo cabelo dele, e pelo rosto.
Quando a música mudou, olharam-se simultaneamente. E deram as mãos. Ficaram assim, unidos, a ver o céu carregado de cores e linhas invulgares.
Eu imaginei que aquela música significava muito para eles. Pus-me a adivinhar em que momento a tinham ouvido, se teria sido quando se conheceram, quando decidiram dar "o" passo, quando casaram... E vi que eles se amavam mesmo. Que apesar da multidão que os cercava, eles conseguiam isolar-se num mundinho só deles. Que eles estavam felizes e não precisavam de o dizer um ao outro, bastava que se olhassem.
Corria um vento que me fez tremer, e parar de pensar neles por um bocadinho.
Eu também estava a olhar para aquele céu escuro, meio sarapintado de amarelo e verde e laranja e azul e vermelho, e lembrei-me de ti.
Sabes, este era o meu primeiro desejo: ver fogo de artifício de mãos dadas contigo.