sábado, 21 de abril de 2012

"Ai e tal, estás diferente..."

Pois estou. Se calhar não cuidaste como eu cuidei. Não deste como eu dava.
Se calhar preferias o que te davam as outras. Não tinha valor o que eu te queria dar? Temos pena, há muito quem valorize agora. Agora, que "estou diferente".
Se te digo que estou muito bem, que está tudo ótimo, e nem questionas se não estou apenas a controlar a dor que cá deixaste, então mereces mesmo que esteja diferente contigo.

quinta-feira, 12 de abril de 2012

E quando nos dizem que estamos diferentes?
Acontece que eu sinto que não estou, trato-te mesma maneira.
É que por vezes eu acho que deveria estar mesmo diferente. Que deveria mesmo ter deixado de me importar. Aí sim, ias sentir a falta.

terça-feira, 10 de abril de 2012

quinta-feira, 5 de abril de 2012

"Não podemos confiar num homem cuja lealdade tem um preço."

E acabou.
Custou-me ter que cortar relações assim, mas é o melhor para mim, porque vou libertar-me de uma espera que não ia trazer-me frutos. E é o melhor para ti, porque tens a quem te dedicar, e que por sinal até tem mais para te oferecer do que eu.
Isso de esperar compensa, de vez em quando. No nosso caso não. Porque eu sonhava, tu prometias, mas não me davas. Porque eu dava, tu recebias e depois fugias para a tua outra vida. Porque eu queria, tu dizias querer, mas as circunstâncias não deixavam.
Pensando bem, como é que eu podia confiar em ti? Quem mente uma vez, mente duas ou três. E se mentias por mim, quem garante que não me mentias a mim também? Quem me garante que não o ias fazer no futuro?
Mas gostava tanto de ti... Superava tudo. Até o facto de simplesmente não devermos ou não podermos ou não nos ficar bem.
Só de pensar que foi a última vez, o último beijo, o último abraço, o último toque...
Mas desta vez, não vou voltar atrás.

quarta-feira, 4 de abril de 2012

Precisamente isto.

"Não quero pensar, não quero fazer planos, não quero criar expectativas.
Quero apenas que os dias passem."


William Shakespeare

terça-feira, 3 de abril de 2012

"There's a reason I said I'd be happy alone. It wasn't 'cause I thought I'd be happy alone. It was because I thought if I loved someone and then it fell apart, I might not make it. It's easier to be alone, because what if you learn that you need love and you don't have it? What if you like it and lean on it? What if you shape your life around it and then it falls apart? Can you even survive that kind of pain? Losing love is like organ damage. It's like dying. The only difference is death ends. This? It could go on forever."