sábado, 28 de agosto de 2010

Estava prometido.

Já são treze anos.
Sabes, acho que tenho que pedir desculpa por muita coisa.
Por não suportar algumas coisas que, penso, fazes na tua ingenuidade, e que me fazem responder com demasiada sinceridade.
Devia dizer-te tantas coisas, e fico só à espera que percebas por ti.
Há coisas que fazes que me irritam, que não compreendo, que me magoam.
E há coisas que fazes, que me fazem sentir a Liliane.
Que mais ninguém faz porque mais ninguém sabe que tem que fazer.
Lembro-me de andarmos na escola, de nos chatearmos na primária por causa de uma miúda que não valeu a confusão que arranjou. Mas felizmente abriste esses olhinhos. Ahah :D
Lembro-me de termos dado um abraço tão mas tão grande no início das aulas do 5º ano, que o teu pai ficou admirado, e disse "Fogo, que saudades...". Estavamos em frente à sala 3 ou 4, e não nos víamos desde o fim das aulas no 4º ano. E eu estava mesmo a sentir a tua falta. Éramos pequeninas, mas eu gostava mesmo de ti, palerma.
Lembro-me de te escrever cartinhas de melhor amiga. E de receber resposta. Com aqueles autocolantes com brilhantes e tudo... :D
Lembro-me de ires a Paris e de eu rezar para teres boa viagem.
Lembro-me de teres trazido uma prendinha e eu nem lhe liguei muito ao início porque queria que me contasses tudo que tinhas visto, tudinho.
Lembro-me de te chateares comigo por uma coisa que para além de completamente parva, eu não tinha feito. Mas tudo porque apareceu uma segunda "cobrinha" na nossa vida, sendo que esta era mais parecida com um leitão (xD). O importante é que tinham conseguido afastar-nos. Por uma estupidez. Por ciúmes do que nós éramos.
E do que voltamos a ser. Lembro-me disso também.
Lembro-me de recomeçares a falar comigo, com medo. Até sorrio a pensar nisso. Era mesmo engraçado. Enfim... xD
Lá começaste a aproximar-te, (re)começamos a dividir carteiras nas aulas, a lanchar juntas, a ir à casa de banho juntas (LOL), a cantar músicas completamente ridículas de um filme que mais ninguém viu, a fazer bosta com o meu ActiMel e com o teu iogurte líquido, a apontar "P'tantos"...
Lembro-me de te dizer umas verdades. De me dizeres umas verdades.
De chorares comigo e de eu não chorar contigo.
De te fazer ver que não devias ter medo de dar um passo sabendo que não estavas sozinha.
Lembro-me de teres dado esse passo e de eu passar a ser a Fada Madrinha.
Lembro-me de me protegeres em muitas situações.
Lembro-me de não me compreenderes por ser demasiado sonhadora, e romântica, e palerma.
Lembro-me de tentar pôr-te mais feminina, e azucrinar-te a cabeça para começares a pintar as unhas... OMG xD
Lembro-me de te mandar vestir vestidos e usar tacões.
Lembro-me de saltar para a tua cama quando estava com aquela cena levantada, e de malhar a seguir. E de tu berrares a dizer que te ia dar cabo da porcaria da cama... xD
Lembro-me de me expores os meus próprios problemas de uma forma prática, e de eu não saber agradecer por isso.
Lembro-me de te fazer uma surpresa nos teus anos, e encher-te a casa de gente, com a ajuda da tua mãe.

Lembro-me de me levares a um concerto sem eu saber, nos meus anos, com a ajuda da minha mãe.
Lembro-me de desabafares comigo sobre os teus medos, sobre alguém que queria um espaço na tua vida que tu não tinhas para lhe dar.
Lembro-me de passar uma tarde a pôr-te ao corrente das coisas que se passavam comigo e em mim.
Lembro-me de não conseguir dizer muitas coisas que pensei, de ter vergonha de dizer tantas coisas que sentia, e de mesmo assim, ter sido uima tarde em que tirei um peso enorme de cima dos ombros.
Enfim, doze anos a estudar juntas, a trocar olhares cúmplices, e a rirmos sem que os outros percebessem de quê.
Depois, foi uma separação física.
Tu em Vila Real, eu no Porto. É certo que havia o esforço de todas as sextas nos juntarmos no café do Tio, mas havia sempre uma semana em que tínhamos um exame no sábado e não podíamos ir, ou podia eu e não podias tu, e vice-versa.
Tornou-se tudo muito diferente da convivência diária que tínhamos.
E eu juro-te, tive muito medo que se perdesse a cumplicidade.
Mas este Verão, com mais tempo livre das duas partes, vi que não.
Contínuamos a ter tudo. Só que menos vezes, com menos regularidade.
Sabes porque és a melhor amiga?
Porque continuamos a cantar "O Caminho para El Dourado", continuamos a ir à casa de banho juntas (LOL outra vez), porque estou no banho e tu estás a cantar comigo, porque durmo contigo e falamos pela madrugada dentro, porque já não tenho dúvidas quando vou comprar uma prenda para ti (o que antes era um problema), porque conto com a tua sinceridade típica (e também com a tua pouca fofice xD), porque és a pessoa a quem conto com quem estive, porque te chateio com tudo o que não sei fazer, porque quero que me contes todos os pormenores do que fazes longe de mim, porque te quero contar tudo o que faço quando não estás aqui, porque sabes os meus segredos, porque sabes do que gosto e do que não gosto, porque temos momentos só nossos, porque ficamos felizes com as vitórias uma da outra.
Porque gosto de ti, desde sempre.

(Lembraste?)

4 comentários:

Cris disse...

"Lembro-me de ires a Paris e de eu rezar para teres boa viagem."
Oiiin! *.*

Joana S. *-* disse...

Obrigada :)
Que post mais fofinho *.*

Liliane disse...

Obrigada, minhas lindas *.*

KákáChi disse...

É uma vergonha eu não ter sido a primeira (eu sei).
Mas acho que basta estares comigo 5 minutos que já sabes as minhas reações e já sabes as coisinhas todas que eu senti ao ler este testamento enorme.
Fez-me chorar, fez-me chorar a rir, fez-me pensar e principalmente: fez-me recordar.
Minha Yuuki Ichigo, as minhas acções dizem tudo e se não disserem eu digo-te quando estou contigo!
EU AMO VOCÊ >.<