domingo, 9 de janeiro de 2011

Suplício.

Cinquenta e cinco minutos. Ele olhava para ela, desafiando-a a perder a postura e desfazer-se em olhares apaixonados e pedidos de proximidade.
Mas ela viu-o pelo canto do olho e decidiu usar de todo o seu auto-controlo.
Ela passava à sua frente e ele seguia-a com os olhos e com a cabeça, sem disfarçar.
Ela passava, e morria por não lhe poder falar, por não o poder abraçar.

5 comentários:

Marco disse...

Que coração grande que tens miuda!! Ganha força e NÃO sintas tanto por quem não merece!

Liliane disse...

Eu sofro por toda a gente que me deixa.

Carla disse...

Concordo com o marco. :)

Liliane disse...

:O Tás doente. x)

. Sofia disse...

Eu também concordei com o Marco quando li o que ele mandou. Só não comentei, porque tinha que dizer que ele tinha falado contra ele mesmo. xD