quinta-feira, 5 de abril de 2012

"Não podemos confiar num homem cuja lealdade tem um preço."

E acabou.
Custou-me ter que cortar relações assim, mas é o melhor para mim, porque vou libertar-me de uma espera que não ia trazer-me frutos. E é o melhor para ti, porque tens a quem te dedicar, e que por sinal até tem mais para te oferecer do que eu.
Isso de esperar compensa, de vez em quando. No nosso caso não. Porque eu sonhava, tu prometias, mas não me davas. Porque eu dava, tu recebias e depois fugias para a tua outra vida. Porque eu queria, tu dizias querer, mas as circunstâncias não deixavam.
Pensando bem, como é que eu podia confiar em ti? Quem mente uma vez, mente duas ou três. E se mentias por mim, quem garante que não me mentias a mim também? Quem me garante que não o ias fazer no futuro?
Mas gostava tanto de ti... Superava tudo. Até o facto de simplesmente não devermos ou não podermos ou não nos ficar bem.
Só de pensar que foi a última vez, o último beijo, o último abraço, o último toque...
Mas desta vez, não vou voltar atrás.

Sem comentários: