domingo, 14 de fevereiro de 2010

Sabes, não pensei que o dia de hoje custasse tanto a passar.
É um dia triste, porque é o aniversário da morte do meu irmão.
Além disso, não falamos hoje, durante o dia inteiro. Isso também me custou.
Fiz tantos planos, que nunca contarei a ninguém, imaginei tantas possibilidades para cada minuto; mas apesar de diferentes, cada projecto tinha algo em comum com todos os outros: tu eras o centro de tudo. Ou melhor, tu és o centro de tudo.
Queria muito que utrapassássemos juntos o preconceito, as ideias pré-concebidas.
Como o sonho do dia de hoje, mais uma vez, foi por água abaixo, limito-me a pensar no próximo. E esse já deves saber qual é.
Por hoje, deixo-te só mais estas palavras:
Sabes como é que me sinto ultimamente? Eu entro numa sala cheia de gente e sinto-me sozinha até que tu olhes para mim. Até que guardes só para mim um gesto, um sorriso, um olhar. Nem que seja a meter-te comigo. Só para que os outros saibam que não estou sozinha.
Que estou contigo.
Que sou tua.

2 comentários:

Cris disse...

Vejo aí "P.S. I Love You" :)
E mais não digo pq nem sei. =S
Adoro-te!

Sophia Ribeiro disse...

Texto Lindo...

Bj