terça-feira, 6 de julho de 2010


Parece que é só para nos animar. Já não há força para acreditar no que nos dizem.
Parece que as palavras não encaixam em nós, são boas de mais para nós. Só há força para sobreviver.
Só.
E aparecem daquelas coisas que nos fazem cair na tentação de não tentar de novo.
De não tentar levantar o pouco que existe, despedaçado.
De não nos expormos, de não corrermos o risco de sairmos "magoados" (se é que é esta a palavra), outra vez.
É daqueles sentimentos que nos fazem pensar qual será a razão para cairmos sempre no mesmo poço, que parece não ter fim.
E é pior a angústia da queda do que a dor do embate.
Já nem sei se quero que comece outra vez. De cada vez que começa, acaba. E eu não quero que acabe. Especialmente desta vez.
Os que não sofrem por fora, morrem por dentro.
"Se fossem dois a puxar para o mesmo lado, a carruagem andava." - Onde é que eu li isto???


Este é para ti, oh trenga :)

3 comentários:

KákáChi disse...

Na sei para quem é nem me interessa mas às vezes temos de gritar um grande "Vai à merda!". Sim porque é impossível as pessoas saberem o que sentimos em certos momentos. É difícil de compreender alguém a 100% mas lá vamos tentando. Agora quando não há maneira de fugir a alguma situação e por outro lado queremos continuar a insistir, o melhor é fazer uma pausa (Kit Kat xD ).
;)

Cris disse...

Bah!
Como eu percebo isso tão bem!
Às vezes, não sei mesmo o que fazer. Se arrisco ou se é melhor ficar quietinha.
Como dizes, é preciso dois a puxar para o mesmo lado.
Mas tu anima-te, mulher. :D
<3

Liliane disse...

"... é pior a angústia da queda do que a dor do embate...", Cris. Mas não dá pa animar.

Arrisca. Depois arrependes-te de não ter dado mais, de não ter tido mais. *.*