domingo, 1 de agosto de 2010

1º Desejo

Ontem fui a uma daquelas festinhas da terrinha.
Estava a família toda sentadinha numa encosta, umas mantas, umas pipocas, digamos que havia ambiente, havia aquela coisa que há nas famílias e que nos faz sentir em casa.
E reparei num casal que estava à minha frente. Tinham os seus 30 e poucos anos. Ela estava sentada, e ele deixou repousar a cabeça no colo dela.
Havia fogo de artíficio. E uma música calma.
E ela carinhosamente acariciava o marido, passando ao de leve os dedos pelo cabelo dele, e pelo rosto.
Quando a música mudou, olharam-se simultaneamente. E deram as mãos. Ficaram assim, unidos, a ver o céu carregado de cores e linhas invulgares.
Eu imaginei que aquela música significava muito para eles. Pus-me a adivinhar em que momento a tinham ouvido, se teria sido quando se conheceram, quando decidiram dar "o" passo, quando casaram... E vi que eles se amavam mesmo. Que apesar da multidão que os cercava, eles conseguiam isolar-se num mundinho só deles. Que eles estavam felizes e não precisavam de o dizer um ao outro, bastava que se olhassem.
Corria um vento que me fez tremer, e parar de pensar neles por um bocadinho.
Eu também estava a olhar para aquele céu escuro, meio sarapintado de amarelo e verde e laranja e azul e vermelho, e lembrei-me de ti.
Sabes, este era o meu primeiro desejo: ver fogo de artifício de mãos dadas contigo.


Sem comentários: