domingo, 19 de dezembro de 2010

Nunca te deu para chorar, assim sem razão?
Quer dizer, se calhar comigo, foi do filme que vi.
Ou desta música que é realmente bonita.
Ou então, é de eu pensar, é arrependimento, é um querer mais, é um querer fugir, é o facto de ver acontecer, é o medo, é uma saudade enorme, é uma preocupação que não se controla, é uma esperança que morre todos os dias.

Sem comentários: