domingo, 23 de agosto de 2009


Quando nos faltam as palavras, falam os gestos.
Falam os olhares, falam os suores frios, os arrepios e as faces coradas, falam os sentimentos.
Não vês uma imensidão de coisas: a música, a amizade, a força, a parte importante do mundo.
Contudo, é essa parte que tem mais poder em nós. Então porque não acreditar também no poder do amor?
Também não o vemos. Apenas o sentimos e é o suficiente.
É o necessário para nos fazer rir, ou nos fazer derramar uma lágrima em instantes; para nos atirar para o fundo do poço, ou para nos elevar às estrelas com o sorriso mais brilhante, mais contagiante de todos.
É o suficiente para alguém ser feliz. Por umas horas, só. Ou constantemente quando sentimos que há um sentimento igual do outro lado.
Nem todos lutam. Nem todos admitem. Nem todos dão uma hipótese. É aí que olhamos em nosso redor e vemos os amigos fantásticos que temos, e as pessoas que não aguentam estar ao nosso lado numa má altura.
As horas acabaram e o tempo passou depressa de mais. Tentar de novo.

1 comentário:

KákáChi disse...

Temos uma infinidade de oportunidades para sermos felizes, para descobrirmos algo novo, para amarmos e sermos amados.
Afinal existem vários tipos de amor. O facto de esse sentimento não ser apenas Uno significa muita coisa.
Temos as pessoas tapadinhas, as pessoas que infelizmente não raciocinam bem em determinados assuntos, temos as pessoas egoistas e as pêgas, mas também temos aquelas mais simples, as mais malucas, as mais histéricas, as mais caladas, as mais idiotas e as mais amáveis.
Ninguém é igual e todos somos únicos à nossa maneira. Afinal de contas, todos somos especiais e todos temos direito a um final feliz.
Só quem encontra em si aquela força para se erguer e lutar poderá encontrar mais facilmente esse lugar especial.
Ah e não nos podemos esquecer da voz. Aquela voz pequenina que todos deviamos ter.
"Imagina só por um momento que tens uma. O que é que ela te diz sobre tentar? Presta atenção..."
- Não há nada a perder.
Bingo. Tu é que decides. Tu é que fazes as tuas regras.
Tu és especial e única.
Continua assim e não haverá nada a recear. Talvez umas quedas e uns amassos mas será isso que te irá guiar e moldar.
:)