domingo, 13 de maio de 2012

Tremia tanto...
Se pudesse, tinha ficado o dia todo contigo.
Se fosse pela minha vontade, não te tinha largado.
Mas nem tu nem eu podemos. Ou não devemos. Ou não devíamos.
Tremia tanto...
Nem sentia as pernas, abraçada a ti.
Custou-me tanto vir embora...
Tremia tanto.
E não paro de pensar naqueles minutos.
Foi daquelas situações em que achei mesmo que o coração me ia sair pela boca...
Tremia tanto. E gosto tanto de ti.
Depois de tudo e depois de tanto tempo.

Sem comentários: